Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Beneficios.pt

Blog sobre bons hábitos alimentares e benefícios dos alimentos. Aprenda a cuidar da sua saúde.

Beneficios.pt

Qui | 31.08.17

Benefícios do Abacaxi

abacaxi.jpg

O nome científico do abacaxi é Ananas comosus e é da família Bromeliaceae. O abacaxi é uma das frutas mais deliciosas, além de muito nutritiva.

O abacaxi é uma fonte rica de minerais e vitaminas essenciais e ajuda a prevenir várias perturbações médicas. Além disso, é uma fruta com baixo teor de calorias e quase não contém gordura.

O abacaxi é rico em manganês e vitamina C. A vitamina C é um antioxidante natural e ajuda a proteger o organismo contra vários transtornos. A vitamina C no abacaxi protege a saúde do corpo, mediante a destruição dos radicais livres.

Além disso, o teor de vitamina C do abacaxi fortalece o sistema imunológico. O abacaxi contém bromelina, a qual consiste de uma mistura de enzimas digestivas de proteínas. A bromelina tem sido utilizada como suplemento terapêutico desde 1957. Diferentes países têm estudado o seu efeito terapêutico durante mais de 50 anos.

 

A bromelina é um dos suplementos mais populares nos países da Europa, Ásia e América Latina. A cada dia mais países estão interessados em suas propriedades únicas e benéficas para a saúde. Entre os benefícios para a saúde atribuídos a bromelina se encontra que é um eficaz anti-inflamatório, que alivia a artrite, que é boa para o tratamento de picadas de insetos e que poderia ajudar a prevenir coágulos sanguíneos. A maneira mais saudável de comer o abacaxi é comê-lo fresco.

 

Benefícios Para A Saúde Do Abacaxi

  • Ajuda para que os ossos estejam saudáveis.
  • Ajuda a aliviar a tosse e para torná-la mais produtiva.
  • Alivia artrite reumatoide por suas propriedades anti-inflamatórias.
  • Alivia problemas oculares.
  • Ajuda a perder peso e fazer a digestão, por seu alto teor em bromelina.
  • Contém vitamina B1 e magnésio, os quais ajudam a reduzir a fadiga.
  • Devido ao seu elevado teor de antioxidantes, o abacaxi protege o corpo contra os radicais livres, substâncias que danificam as células saudáveis.
  • Reduz a coagulação do sangue (o abacaxi não é recomendado para pacientes com hemofilia ou com doenças hepáticas ou renais).
  • Reduz o risco de gengivite e doença periodontal.

 

Fonte do artigo

loading...
Qui | 31.08.17

Benefícios do Pólen de Abelha

polen de abelha.jpg

 

O que é o pólen de abelha?

O pólen de abelha é feito a partir de pólen que é recolhido pelas abelhas nas plantas em floração. Este é combinado com pequenas quantidades de “cuspo” da abelha e de néctar. A composição nutricional pode variar devido às diferenças entre as plantas que as abelhas possam ter visitado em diferentes países. O pólen de abelha já é usado há séculos por diversas culturas e é conhecido por ser um superalimento devido ao seu elevado teor nutricional. Contudo, o pólen de abelha não é adequado como única fonte de nutrição para um ser humano, isto porque não tem uma quantidade alta o suficiente de vitamina C, vitamina D ou vitamina B12, embora sendo muito rico em ferro.

 

Quais são os benefícios do pólen de abelha?

 

Anti-envelhecimento

O pólen de abelha chegou às notícias recentemente por ser um superalimento consumido por celebridades tais como a Victoria Beckham, com o objetivo de manter um look jovem e saudável. Na realidade, o pólen de abelha está carregado de vitaminas, minerais e antioxidantes. Existe pouca investigação na relação entre o pólen de abelha e propriedades anti-envelhecimento; no entanto, é um facto que este alimento contém muitos componentes que são necessários para um corpo saudável.

 

Estimula a força e a resistência

Têm havido atletas a afirmar que o pólen de abelha promove a força e a resistência. Um estudo finalizado em 2004 ilustrou que o pólen de abelha tinha um efeito anti-fadiga em ratos depois destes completarem exercício físico. Os estudos em humanos infelizmente são poucos e dispersos, e acabam por não ilustrar os mesmos benefícios que este pólen aparentemente teve em ratos.

 

Melhora a saúde

Muitos entusiastas do pólen de abelha também afirmam que este tem outros benefícios, como o aumento de energia e o melhoramento do sistema imunitário. Também é referido como um alimento que mantém a saúde do sistema cardiovascular, graças a um antioxidante chamado rutina. Vários estudos sobre o pólen de abelha já demonstraram que este tem elevados níveis de antioxidantes.

 

Perda de peso

Muitos dizem que o pólen de abelha ajuda na perda de peso, e existem muitos praticantes de medicina holística que o usam para tratar vícios e ansiedades. As provas concretas são demasiado escassas para se promover o pólen de abelha como promovendo a perda de peso, mas é certo que este contém vitaminas e minerais necessários para promover uma saúde de qualidade, tal como mencionado anteriormente.

O pólen para anti-envelhecimento

 

 

Digestão

O pólen de abelha é também usado holisticamente para auxiliar na digestão, isto devido à abundância de vitaminas e minerais e também de enzimas que muitos fãs garantem ajudar no processo digestivo. Um problema desta afirmação é o facto da maioria das enzimas que consumimos a partir de alimentos ser na realidade desnaturada pelo processo digestivo. Isto significa que as enzimas que comeste podem já não fazer efeito. Na realidade, elas são decompostas em aminoácidos que o teu corpo vai usar para criar enzimas conforme necessário. O mesmo se aplica à afirmação do pólen de abelha conter ácidos nucleicos. Mais uma vez, existem estudos que comprovam que estes ácidos não chegam à corrente sanguínea humana. Também estes, tal como as enzimas, são decompostos e depois ou são excluídos do corpo ou simplesmente reutilizados.

 

Tratamento de alergias

Um uso potencialmente arriscado do pólen de abelha é utilizá-lo para tratar alergias. Já existiram casos de reações alérgicas ao consumo de pólen de abelha por humanos, algumas destas reações muito agressivas e até mesmo ser fatais quando o pólen foi utilizado com este propósito. Contudo, houve também um estudo em 2008 que utilizou ratos e concluiu que o pólen de abelha tem potencial no tratamento de alergias; este estudo terá que ser repetido num ambiente clínico com humanos e obter os mesmos resultados antes que qualquer conclusão possa ser validada.

 

Quem é que não deve consumir pólen de abelha?

Devido aos incidentes nos últimos estudos de reações alérgicas, pessoas com alergias e asma são aconselhadas a evitar consumir pólen de abelha como suplemento alimentar. O pólen de abelha não é recomendado para quem está a tomar anticoagulantes, devido uma reação já reconhecida. Tal como em todos os suplementos, é importante informares o teu médico que os pretendes começar a utilizar, especialmente se estás a tomar medicação ou se tens um problema de saúde pré-existente.

 

Mensagem final a ter em conta:

O pólen de abelha é altamente debatido e aclamado na internet como um superalimento, mas quando nos debruçamos sobre o mundo de artigos de investigação revistos, a sua presença não é assim tão considerável, especialmente no que concerne estudos em seres humanos. Isto não significa que o pólen de abelha não tenha potencial como suplemento alimentar que poderá ser altamente benéfico para humanos; simplesmente mostra que ainda não existem estudos suficientes para o comprovar. Certamente que também existem imensas afirmações injustificadas e irrealistas na internet acerca do pólen de abelha, aclamando-o como um alimento milagroso. Infelizmente, esse não parece ser o caso, pelo menos de acordo com os estudos que estão disponíveis atualmente. A dificuldade principal com o pólen de abelha parece ser as variações do seu conteúdo nutricional devido à fonte do pólen, como já mencionámos anteriormente – diferentes plantas em diferentes países acabam por causar inconsistências no conteúdo nutricional de diferentes fontes de pólen. Outra questão é que muitos estudos usam apenas extratos de pólen, em vez do pólen de abelha na sua íntegra. Muitos estudos são também feitos em animais em vez de serem feitos em seres humanos.

loading...
Qui | 31.08.17

Benefícios do Millet

Millet.jpg

 

O millet normalmente designado por cereal, é um grão ancestral e pré-histórico (mais antigo que o arroz) e foi inicialmente cultivado no norte de África e Ásia.

Hoje em dia já o conseguimos encontrar facilmente à venda em Portugal (na zona de dietética nos supermercados ou em qualquer loja de produtos naturais e biológicos).

 

As suas características:

  • Não tem glúten (apesar da sua estrutura proteica ser semelhante à do trigo, mas sem a proteína do gluúen)
  • É alcalino
  • É de fácil digestão (está indicado para pessoas com problemas de estômago, baço, pâncreas e diabéticos)
  • É muito versátil (pode ser usado tanto em pratos doces como salgados)
  • Sabor agradável e neutro
  • Pode ser servido como acompanhamento (boa alternativa à massa, batatas ou arroz)
  • É rico em inúmeros minerais (ferro, cálcio e magnésio)
  • Rico em vitaminas do complexo B
  • Composto por: 11% de proteína, 60% de hidratos de carbono e 14% de gordura

O cereal também tem propriedades para amenizar os sintomas de asma e as frequências das crises de enxaqueca. Devido a alta concentração de fibra ele aumenta a concentração de insulina, diminuindo a concentração de gorduras no sangue.

 

Os Benefícios do Millet

Rico em fibras – Ajuda na digestão e no funcionamento do intestino. Além de auxiliar no controle da glicemia (diabetes), diminuir a absorção de gordura e secreção da bile (protegendo a vesícula de cálculos).

Protege o coração – Por ser fonte de magnésio, um mineral que ajuda a regular o colesterol e a pressão arterial, reduz os riscos de doenças cardíacas. Este mineral também actua no alívio de males como enxaqueca e ataques de asma.

Protecção dos ossos – Entre os minerais encontrados no millet, o fósforo e o manganês actuam na formação dos ossos, já o magnésio ajuda na absorção do cálcio, que é essencial para manter a estrutura óssea forte, prevenindo os riscos de osteoporose.

Previne contra o envelhecimento precoce – É rico em antioxidantes que possuem o poder de eliminar os radicais livres do organismo, responsáveis pelo envelhecimento. Radicais livres são substâncias produzidas pelo organismo que danificam as estruturas celulares, assim comprometendo o seu funcionamento, além de favorecer o aparecimento de doenças.

Previne contra o cancro de mama – Como a linhaça, possui ligninas, substâncias capazes de regular as hormonas femininas, principalmente na menopausa e em períodos pré-menstruais. Com as hormonas reguladas e uma alimentação saudável, os riscos de cancro de mama poderão ser bem menores.

Controla o peso – É considerado um cereal magro, uma vez que ajuda a emagrecer. Para além de não conter glúten, que muitas vezes provoca inchaço abdominal, ainda contém triptofano. O triptofano é um aminoácido responsável por reduzir o apetite. Assim sendo, a juntar ao facto de conter fibras, este superalimento é capaz de saciar durante horas, contrariando os ataques de gula que teimam em surgir quando mais queremos perder uns quilinhos.

Uma dica: Para quem faz ginásio, o millet é espectacular para ajudar a ganhar massa muscular. Tem proteína e lisina que são essenciais para a reconstrução e ganho de músculos fortes e definidos.

Melhor a saúde da pele e do cabelo – O millet tem queratina, que previne a queda de cabelo, já que fortalece os fios. Em homens pode até prevenir a calvície. Para além disso, contém antioxidantes, como o allium, capazes de retardar o envelhecimento da nossa pele e até suavizar o aspecto das cicatrizes. Para além de ser rico ainda em selénio e vitaminas C e E, que que fazem maravilhas pela nossa pele.

 

Sugestão de utilização:

Lave o millet e escorra. Leve ao lume num tacho com o dobro da água e uma pitada de sal. Deixe cozinhar durante 20 a 30 minutos. Após cozer, deixe repousar durante 10 minutos. Pode optar por alourar na frigideira.
Pode ser utilizado em sopas, saladas, como acompanhamento de pratos variados, misturado com legumes e na confecção de papas, entradas e sobremesas.

 

Fonte do artigo

loading...
Qui | 31.08.17

Benefícios do Kiwi

kiwi.jpg

kiwi é um fruto do outono. É muito mais do que um fruto exótico, com cor apelativa. Sabia que este fruto tem o triplo da vitamina C do que contém uma laranja, por exemplo?  

 

9 BENEFÍCIOS DO KIWI 

1. RICO EM VITAMINA C

Tal como já, dissemos, o kiwi é o equivalente a 3 laranjas, no que à vitamina C diz respeito. Esta vitamina desempenha um papel fundamental no nosso organismo. É um importante antioxidante, atua sob a prevenção de gripes e constipações e ainda fortalece o sistema imunológico.

 

 2. FONTE DE FIBRAS

O kiwi é rico em fibras solúveis que ajudam ao bom funcionamento do trânsito intestinal, ao mesmo tempo que ajudam a eliminar toxinas e assim facilitam a boa gestão de peso.

 

3. FACILITA A DIGESTÃO

Como contém a enzima actinidia que ajuda a digerir a proteína sendo um bom aliado da digestão. 

 

4. AMIGO DA BALANÇA

O seu elevado teor de fibra e a sua composição em cerca de 95% de água, promove a saciedade, ajudando, assim, a ter menos vontade de petiscar. 

 

5. BOM PARA DIABÉTICOS

É também um fruto com baixo índice glicémico, o que o torna num bom fruto para pessoas com problemas de diabetes. 

 

6. REDUZ PROBLEMAS CARDÍACOS 

A ingestão de kiwis diminui a coagulação do sangue e os triglecerídios, o que faz com que seja menos provável o desenvolvimento de doenças cardíacas.
 

 7. BOM PARA A PELE

Como fonte de vitamina E, o kiwi é um bom aliado para uma pele bonita e cuidada!

 

8. FRUTO ALCALINO

Este fruto é considerado um dos mais alcalinos. O que ajuda a equilibrar os alimentos ácidos que ingerimos. Isso traduz-se em maior vitalidade, menos constipações e maior imunidade para o seu organismo.  

 

9. FONTE DE ÁCIDO FÓLICO

O kiwi é uma boa fonte de ácido fólico, fundamental para futuras mamãs e para o desenvolvimento do feto nas primeiras semanas de gravidez. 

 

Fonte do artigo


 

 

 

loading...
Qui | 31.08.17

Benefícios da Kombucha

kombucha.jpg

 

Dentre as bebidas saudáveis que mais estão em alta nas redes sociais atualmente, podemos citar o kombucha, uma bebida probiótica, preparada a partir da fermentação do chá da árvore Camellia Sinensis (a mesma utilizada na confecção do chá verde), ou ainda com outras infusões ricas em cafeína.

 

Conhecido por promover saúde e força física, possui origem provável na China, por volta de 220 anos antes de Cristo, tendo seu uso ampliado recentemente em países como os Estados Unidos e Austrália. Seus benefícios podem ser comprovados pelas pessoas que buscam por um estilo de vida mais saudável, ganhando popularidade também em nosso país.

Segundo o nutricionista Daniel Novais, a fermentação ocorre por causa do scoby, um disco gelatinoso feito de colônias de bactérias e leveduras. “Esses organismos se alimentam de açúcar e, por isso, acabam deixando a bebida com baixo teor de carboidratos”, explica.

Conhecido pelos povos da China como o “elixir da saúde”, esta bebida também possui vitaminas do complexo B e C, além de aminoácidos essenciais, propriedades antioxidantes e energéticas.

 

6 benefícios incríveis do kombucha

Após o processo de fermentação do chá com o açúcar, o kombucha torna-se uma bebida gaseificada, contendo grande número de probióticos, vitaminas, enzimas e benefícios a quem o consome. Confira a seguir alguns destes benefícios segundo o nutricionista:

1. Ajuda a emagrecer: “ele estimula o metabolismo de carboidratos, além de aliviar a compulsão alimentar por doces e carboidratos em geral, melhorando o perfil glicídico”, revela Daniel.

2. Age no sistema digestório: o alívio de mal-estar digestivo é instantâneo, devido a ação dos antioxidantes que combatem os radicais livres causadores da disfunção. Ainda repõe a flora intestinal, garantindo equilíbrio ao organismo. “É um coadjuvante para aliviar os sintomas de mal-estar nas pessoas que estão passando pelo tratamento da candidíase”, recomenda o profissional.

3. Poder desintoxicante: segundo o nutricionista, o kombucha possui ação antioxidante e desintoxicante associadas, auxiliando na eliminação de toxinas e impurezas do organismo.

4. Altamente energizante: durante a fermentação do chá, ocorre a formação de ferro, o qual, associado com a cafeína naturalmente presente na bebida, “confere maior sensação de energia e vitalidade”, resume o profissional.

5. Aumenta a imunidade: devido a presença de probióticos e vitaminas variadas na bebida, ocorre o fortalecimento do sistema imune, além da proteção das células, evitando doenças inflamatórias.

6. Fonte de colágeno: o kombucha possui glucosamina, uma substância que auxilia na prevenção da perda do colágeno e, por consequência, de lesões articulares e do aparecimento de rugas.

Kombucha e emagrecimento

De acordo com o profissional, esta relação ocorre devido ao kombucha ser uma bebida energética, a qual promove o aumento da saciedade e acelera o metabolismo basal do organismo. Outro elemento presente no chá que auxilia neste processo é o ácido acético, um agente que bloqueia enzimas responsáveis pela absorção de açúcares.

 

Fonte do artigo

loading...
Qui | 31.08.17

Benefícios do chá verde

chá verde.jpg

O chá verde pode ser um aliado poderoso do organismo, especialmente se os efeitos da cafeína são um problema para si,

De todas as variedades de chá esta é a que possui mais propriedades antioxidantes, é uma bebida estimulante (ainda que contenha menos cafeína) e é rica em minerais como o fluor, cálcio e magnésio. Se ainda não a convencemos, temos quatro motivos pelos quais deve incorporar esta bebida na sua alimentação.

 

É diurético

As propriedades antioxidantes do chá verde são perfeitas para eliminar os líquidos e toxinas que retemos no corpo. Se quer desintoxicar o organismo, esta variedade de chá pode converter-se na melhor amiga dessa tarefa.

 

É um termogénico natural

Tal quer dizer que aumenta ligeiramente a resistência física e a recuperação muscular. Assim, pode converter-se num complemento indispensável para as sessões de treino.

 

Ajuda a manter-se ágil

Segundo um estudo publicado na revista americana American Journal of Clinical Nutrition, as pessoas que consomem chá verde de forma regular mantêm-se hábeis e independentes durante mais anos de vida. Além disso, também pode ajudar a prevenir a depressão e a osteoporose.

 

Cuida do seu coração

Outra investigação, desta vez publicada pela Journal of the American Medical Association , demonstra que o chá verde reduz a mortalidade resultante de problemas cardiovasculares. O chá verde tem propriedades que melhoram a circulação e ajudam a prevenir os problemas de colesterol.

 

Aprende a preparar o chá verde

Se quer que ele passe a fazer parte da sua dieta, deve lembrar-se da importância de não deixar ferver totalmente a água durante a fervura. Além de ser ideal retirar a água do lume neste ponto da preparação, é ainda aconselhado que se deixe repousar durante cerca de três minutos – quanto mais tempo passar, mais amargo será o sabor e menos cafeina estará presente no chá.

 

Incorpore-o na tua dieta

Para conseguir usufruir dos benefícios do chá verde, o recomendado é que se beba uma chávena três vezes por dia. O chá pode ser preparado a qualquer momento e deverás ter em conta se és uma pessoa habituada a tomar bebidas estimulantes (como o chá ou café) ou se o teu corpo é muito sensível a estes efeitos. O ideal será consumir o chá nas primeiras horas do dia e a partir do meio da tarde optar por infusões relaxantes ou digestivas que não afetam o sono. Os intervalos entre refeições podem ser um bom momento para ingerir o chá verde.

 

Fonte do artigo

 

 

 

loading...
Qui | 31.08.17

Benefícios do Óleo de Coco

oleo de coco.jpg

 

O óleo de coco é um dos poucos alimentos que podem ser classificados como um “superalimento”.

Os benefícios do óleo de coco incluem perda de peso, melhor função cerebral, saúde da pele e muitos mais.

 

Aqui estão 10 impressionantes benefícios do óleo de coco:

1) Óleo de Coco contém ácidos gordos com poderosas propriedades medicinais

O óleo de coco foi demonizado no passado, por conter gorduras saturadas.

De facto, o óleo de coco é uma das mais ricas fontes de gorduras saturadas conhecidas pelo homem, com quase 90% dos ácidos gordos, sendo saturados.

Contudo, novos dados demonstram que as gorduras saturadas são na sua maioria inofensivos. Muitos estudos com centenas de milhares de pessoas não encontraram qualquer ligação com doenças cardiovasculares.

Além disso, o óleo de coco não contém a média de gorduras saturadas, como a que encontra no queijo ou num bife.

Eles contêm Triglicerídeos de Cadeia Média (TCM) – que são ácidos gordos de comprimento médio.

A maior parte dos ácidos gordos na dieta são ácidos gordos de cadeia longa, mas os ácidos gordos de cadeia média no óleo de coco são metabolizados de forma diferente.

Eles vão directamente para o fígado, do trato digestivo, onde são usados como uma fonte rápida de energia ou transformados nas denominadas cetonas, que podem ter efeitos terapêuticos em distúrbios cerebrais como a epilepsia e o Alzheimer.

Conclusão: O óleo de coco contém uma grande quantidade de triglicéridos de cadeia média, que são metabolizados de modo diferente e podem ter efeitos terapêuticos em vários distúrbios cerebrais.

2) As populações que ingerem bastante Óleo de Coco são saudáveis

O coco é um alimento exótico no mundo ocidental, consumido principalmente por pessoas que se preocupam com a saúde.

No entanto, em algumas partes do mundo, o coco é um alimento básico que as pessoas têm mantido na alimentação por muitas gerações.

O melhor exemplo de tal população são os Tokelauanos, que vivem no Pacífico Sul.

Eles ingerem mais de 60% das suas calorias dos cocos e são os maiores consumidores de gordura saturada no mundo.

Estas pessoas têm uma óptima saúde, sem qualquer evidência de doe cardiovascular.

Outro exemplo de uma população que ingere bastante coco e permanece com com óptima saúde são os Kitavans.

Conclusão: Muitas populações em todo o mundo têm mantido, de geração em geração, uma alimentação com base em enormes quantidades de gordura de coco.

3) Óleo de Coco pode ajudar a queimar mais gorduraA Obesidade é actualmente um dos maiores problemas de saúde do mundo.

Enquanto algumas pessoas consideram que a obesidade é apenas uma questão de calorias, outras acreditam que as fontes dessas calorias são também importantes.

É um facto que diferentes alimentos afetam os nossos corpos e hormonas de formas diferentes. A este respeito, uma caloria não é uma caloria.

Os triglicerídeos de cadeia média (TCM) no óleo de coco podem aumentar o número de calorias que queima, comparando com a mesma quantidade de outras gorduras.

Um estudo descobriu que 15-30 gramas de TCM por dia aumentou o desgaste de energia de 24 horas em 5%, totalizando cerca de 120 calorias por dia.

Conclusão: Os triglicéridos de cadeia média no óleo de coco têm demonstrado que aumentam o número de calorias queimadas durante 24 horas em tanto como 5%, levando potencialmente a uma perda de peso significativa a longo prazo.

4. Óleo de Coco pode matar microorganismos prejudiciais

Quase 50% dos ácidos gordos no óleo de coco correspondem ao  Ácido Láurico de 12 carbonos.

Quando ácido láurico é digerido, forma uma substância denominada monolaurina.

Tanto o ácido láurico e a monolaurina pode matar patogénicos prejudiciais com bactérias, vírus e fungos.

Por exemplo, estas substâncias têm demonstrado matar a bactérias Staphylococcus Aureus (um patogénico muito perigoso) e a levedura Candida Albicans, uma fonte comum de infecções fúngicas em seres humanos.

Conclusão: Os ácidos gordos e produtos de degradação no óleo de coco pode matar agentes patogénicos prejudiciais, ajudando potencialmente a prevenir infecções.

5. Óleo de Coco pode reduzir a sua fome, ajudando-o a comer menos

Uma interessante característica do óleo de coco é que pode reduzir a sua fome.

Pode estar relacionado com o forma como os seus ácidos gordos são metabolizados, porque as cetonas podem ter um efeito de redução do apetite.

Num estudo, quantidades variadas de triglicéridos de cadeia média e longa alimentaram 6 homens saudáveis.

O homem comendo a maior parte dos TCM come menos 256 calorias por dia, em média.

Outro estudo em 14 homens saudáveis, descobriram que os que comem a maior parte dos TCM ao pequeno-almoço, ingerem menos calorias ao almoço.

Estes estudos foram pequenos e apenas realizados durante um curto período de tempo. Se este efeito persistisse a longo prazo, poderia ter uma influência dramática no peso corporal durante um período de vários anos.

Conclusão: Os ácidos gordos no óleo de coco podem reduzir significativamente o apetite, o que pode afectar positivamente o peso corporal a longo prazo.

6. Os ácidos gordos no Óleo de Coco são transformados em cetonas, que podem reduzir convulsões

Uma dieta cetogênica (muito baixa em hidratos de carbono, muito gorda) está actualmente a ser estudada para tratar vários distúrbios.

A aplicação terapêutica mais conhecida desta dieta é o tratamento da epilepsia fármaco-resistente em crianças .

A dieta envolve comer muito poucos hidratos de carbono e grandes quantidades de gordura, levando ao aumento da concentração de cetonas no sangue.

Por alguma razão, esta dieta pode reduzir drasticamente a taxa de convulsões em crianças epilépticas, mesmo aquelas que não tiveram sucesso com múltiplos tipos diferentes de medicamentos.

Devido aos TCM no óleo de coco serem enviados para o fígado e transformados em cetonas, são frequentemente usados em pacientes epilépticos para induzir cetose enquanto são permitidos um pouco mais de hidratos de carbono na dieta.

Conclusão: Os TCM no óleo de coco podem aumentar a concentração sanguínea de corpos cetónicos, o que pode ajudar a reduzir convulsões em crianças epilépticas.

7. Óleo do Coco pode melhorar os níveis de colesterol no sangue

O óleo de coco contém gorduras saturadas saudáveis.

As gorduras saturadas no óleo de coco podem aumentar o “bom” colesterol HDL no seu corpo, mas também ajudam a converter o “mau” colesterol LDL numa forma menos prejudicial.

O óleo de coco também pode melhorar outros factores de risco e, portanto, proteger contra doenças cardiovasculares.

Num estudo em 40 mulheres, o óleo de coco reduziu o colesterol total e LDL, enquanto aumentava o HDL comparativamente ao óleo de soja.

Há também estudos realizados em ratos que demonstram que o óleo de coco reduz os triglicerídeos, o colesterol total e LDL e melhora os factores de circulação sanguínea e o estado dos antioxidantes.

Conclusão: Estudos tanto em humanos e em ratos demonstram que o óleo de coco melhora factores de risco importantes como Colesterol Total, LDL e HDL, que podem traduzir um risco reduzido de doenças cardiovasculares.

8. O Óleo de Coco pode proteger o cabelo contra danificações, hidrata a pele e funciona como protector Solar

O óleo de coco pode servir para vários fins que não têm nada a ver com a alimentação.

Muitas pessoas usam-no para fins cosméticos e para melhorar a saúde e o aspecto da sua pele e cabelo.

Estudos em indivíduos com pele seca demonstram que o óleo de coco pode melhorar os conteúdos de humidade e de gordura da pele.

O óleo de coco pode também ser muito protector contra danos no cabelo e um estudo demonstra a eficácia como protector solar, bloqueando cerca de 20% dos raios ultra violeta do sol.

Outra aplicação é usá-lo como anti-séptico bucal num processo denominado por oil pulling, que pode matar algumas das bactérias prejudiciais na boca, melhorar a saúde dental e reduzir o mau hálito.

Conclusão: O óleo de coco pode ser aplicado topicamente também e estudos demonstram que é eficaz como hidratante da pele e protector de danos no cabelo. Pode também ser usado como um de protector solar suave e para bochechar.

9. Os ácidos gordos no Óleo de Coco podem impulsionar a função cerebral em pacientes com Alzheimer

A doença de Alzheimer é a causa mais comum de demência em todo o mundo e ocorre principalmente nos idosos.

Nos pacientes com Alzheimer, parece haver uma capacidade reduzida para utilizar carburadores de energia em certas partes do cérebro.

Os cientistas especularam que as cetonas podem fornecer uma fonte de energia alternativa para estas células cerebrais com mau funcionamento e podem reduzir os sintomas da doença de Alzheimer.

Num estudo em 2006, o consumo de triglicerídeos de cadeia média levou à melhoria imediata da função cerebral em pacientes com formas mais leves de doença de Alzheimer.

Outros estudos suportam estas conclusões e os triglicerídeos de cadeia média estão a ser alvo de um estudo intenso como agentes terapêuticos potenciais na doença de Alzheimer.

Conclusão: Estudos demonstram que os ácidos gordos no óleo de coco podem aumentar os níveis de cetonas no sangue, fornecendo energia às células cerebrais de pacientes com Alzheimer e aliviando os sintomas.

10. Óleo de Coco pode ajudar a perder gordura, especialmente a gordura abdominal prejudicial

Considerando que o óleo de coco pode reduzir o apetite e aumentar a queima da gordura, faz sentido que também o possa ajudar a perder peso.

O óleo de coco parece ser especialmente eficaz na reduzindo a gordura da barriga, que se aloja na cavidade abdominal e à volta dos órgãos.

Esta é a gordura mais perigosa de todas é altamente associada a muitas doenças crónicas.

O perímetro da cintura é facilmente medido e é um excelente marcador para a quantidade de gordura na cavidade abdominal.

Num estudo em 40 mulheres com obesidade abdominal, a suplementação com 30 mL (2 colheres de sopa) de óleo de coco por dia levou a uma redução significativa no IMC e no perímetro da cintura num período de 12 semanas.

Outro estudo em 20 homens obesos verificou uma redução no perímetro da cintura de 2,86 cm (1,1 polegadas) após 4 semanas de 30 mL (2 colheres de sopa) de óleo de coco por dia.

Este número pode não parecer muito impressionante na superfície, mas tenha em consideração que estas pessoas não estão a praticar exercício ou a restringir calorias. Eles estão a perder quantidades significativas de gordura da barriga simplesmente ao adicionar o óleo de coco à sua dieta.

ATENÇÃO: Nem todo o Óleo de Coco é igual

De modo a desfrutar dos benefícios de saúde descritos no artigo, deve procurar usar óleo de coco virgem orgânico, em detrimento do refinado.

Eu pessoalmente cozinho quase tudo o que como em óleo de coco e a minha saúde nunca esteve melhor.

 

Fonte do artigo

loading...